Escolápias do Brasil2019-05-10T16:10:37-03:00

Excelência e qualidade de educação internacional pertinho de você!

Contribuímos com a construção de uma sociedade mais justa promovendo uma busca continua das verdades cristãs.

Quem somos?

A Escola Pia Feminina, apoiada na proteção de Maria, Mãe e Educadora de Cristo, está a serviço da missão universal da IGREJA através da tarefa educativa. Nós, Escolápias, como Cooperadoras da Verdade, queremos sintetizar a formação cristã e humana de nossos alunos sob o lema: ”PIEDADE e LETRAS ‘ ( C.11 – R.58).

Santa Paula Montal foi Beatificada em 18/04/1993 e Canonizada em 25/11/2001 Paula Montal Fornés nasceu na vila marinheira de Arenys de Mar/Barcelona – Espanha em 11 de outubro de 1799. Na Família recebe uma esmerada educação e descobre seu valor de mulher. Sensível à realidade de seu tempo e encarnada no ambiente socio-cultural, constatou que faltava a sociedade e à Igreja, a cooperação da mulher com uma adequada formação humano-cristã e cultural. Assim em 1829, aos 30 anos de idade fundou em Figueras (Gerona), o INSTITUTO DAS FILHAS DE MARIA RELIGIOSAS DAS ESCOLAS PIAS. Seu lema é: “Salvar as famílias, ensinando às meninas o santo temor de Deus”, abrindo sua primeira escola para meninas inspirada no grande pedagogo José de Calasanz.

Saiba mais

Santa Paula Montal

Paula Montal nasceu em Arenys de Mar, província de Barcelona e Diocese de Gerona, na Espanha, em 11 de outubro de 1799 e foi batizada nesse mesmo dia. Recebeu o sacramento da confirmação em 4 de junho de 1803.

Do matrimônio de seus pais, Ramón Montal e Vicenta Fornés, nasceram cinco filhos, Paula era a mais velha. Porém, na casa paterna viviam também quatro filhos do primeiro casamento do seu pai. Lar muito cristão, tiveram grande cuidado e solicitude em que fosse educada nos mais profundos valores da vida cristã. Órfã aos 10 anos teve que trabalhar como “puntaire”, tecelã, para ajudar a sua mãe levar adiante o sustento da família.

Nesse período tomou parte ativa no apostolado paroquial como membro da Confraria do Rosário e da Congregação das Dores, destacando desde a sua infância e juventude o seu profundo amor por Maria. Foi fiel colaboradora do pároco na catequese de crianças e jovens. Realizou pequenos ensaios docentes. E foi neste período que constatou uma necessidade urgente da Igreja: a educação integral humano-cristã das meninas e das jovens, a promoção da mulher. Fiel ao chamamento do Senhor, decidiu consagrar totalmente sua vida à essa missão.